Samsung Galaxy Fold não alcança 200 mil dobras em teste de tortura de dobras

A Samsung diz que atingiu 200 mil dobras em testes internos.

Anunciado em 20 de fevereiro de 2019, Samsung Galaxy Fold, é um celular dobrável, que custa U$ 2mil, cerca de 124mil meticais em conversão directa.

O smartphone possui duas telas (interna flexível, de 7,3 polegadas e outra externa, com 4,6 polegadas), 5 câmeras (3 traseiras (16, 12 e 12 megapixels) e mais 2 na parte interna para selfies (10 e 8 megapixels). Em termos de poder de processamento, possui um processador octa-core, memória RAM de 12 GB, armazenamento de 512 GB e bateria de 4.380 mAh.

A CNET decidiu submeter o Galaxy Fold a um teste de tortura dobrável, colocando o em uma máquina que o dobrou e desdobrou rapidamente. Veja o video da transmissão live da Cnet no youtube.

Quando o Fold anunciado, a Samsung disse que havia “testado até 200.000 dobras” em testes internos.

Vale lembrar que os testes feitos pela Samsung eram mais lentos comparados aos testes da Cnet. Esses testes de disparo rápido colocam mais pressão na dobradiça do Fold do que seria usada no mundo real por um usuário normal, o que poderia explicar a falha prematura presenciada em torno da marca de 120.169 dobras, se não um pouco antes.

Vale a pena gastar 2mil dolares nele?

Embora o telefone tenha ficado um pouco aquém das expectativas estabelecidas pela Samsung, mais de 100.000 dobras significam que duraria vários anos com base na frequência com que as pessoas costumam checar seus smartphones diariamente, o que é estimado em algo entre 80 e 200. Mas se você se ater à extremidade inferior, o Fold sobreviverá por três anos. (E lembre-se de que você tem a tela externa coberta de vidro para interações mais rápidas com o dispositivo.)

“O ponto mais importante é que dobrar o Galaxy Fold não é o problema de durabilidade com o qual você deve se preocupar, mas sim a fragilidade geral do dispositivo. O gadget futurista e caro da Samsung deve ser mantido longe da água e vimos evidências (ainda que extremas) de que a poeira ainda pode entrar, apesar do redesenho do produto pela Samsung.” – escreveu o redactor do The Verge

Vale a pena?