Zoom diz que não implementará criptografia de ponta-a-ponta para usuários gratuitos para que o FBI possa ter acesso as chamadas

A criptografia é uma questão fundamental para o Zoom, que tenta aumentar sua privacidade e segurança após o uso intenso expor pontos fracos durante a pandemia do COVID-19. Nesta semana, empresa de videoconferências, confirmou que implementará a criptografia de ponta-a-ponta apenas para clientes que pagam pelo serviço, com exceção de grupos dissidentes ou organizações sem fins lucrativos que exigem segurança adicional. Segundo o CEO, essa decisão deve-se em parte porque a empresa deseja conceder acesso à aplicação da lei a essas chamadas, se necessário.

“Acreditamos que esse recurso deve fazer parte de nossa oferta” para clientes profissionais, disse Eric Yuan, CEO da Zoom, em uma reunião com investidores na terça-feira. “Usuários gratuitos – com certeza não queremos dar isso a eles, porque também queremos trabalhar em conjunto com o FBI, com as autoridades locais, no caso de algumas pessoas usarem o Zoom para fins suspeitos.”

Os defensores da segurança infantil alertaram que os predadores usam o Zoom – junto com outras plataformas de vídeoconferências – para abusar de transmissões ao vivo. A criptografia forte provavelmente tornaria esse conteúdo mais difícil para os moderadores e a polícia, mas também oferece proteção adicional para as pessoas que estão discutindo informações confidenciais ou que correm risco de invasão e assédio. Segundo o The Verge, a companhia ainda emitiu a política em uma declaração oficial que diz o seguinte:

“O Zoom não monitora proativamente o conteúdo da reunião e não compartilhamos informações com as autoridades, exceto em circunstâncias como abuso sexual infantil. Não temos backdoors onde os participantes podem participar de reuniões sem serem visíveis para os outros. Nada disso vai mudar ”, disse um porta-voz. “O plano de criptografia de ponta a ponta do Zoom equilibra a privacidade de seus usuários com a segurança de grupos vulneráveis, incluindo crianças e possíveis vítimas de crimes de ódio. Planejamos fornecer criptografia de ponta-a-ponta a usuários para quem podemos verificar a identidade, limitando assim os danos a esses grupos vulneráveis. Usuários gratuitos se inscrevem com um endereço de e-mail, que não fornece informações suficientes para verificar a identidade. ”

Após vários relatos de problemas de privacidade e segurança envolvendo o zoom, essa deveria ser uma oferta grátis para todos os usuários. Se você está a procura de opções, aconselho a pesquisar por serviços de bate-papo de vídeo baseado em blockchain.